Resenha: A Invenção das Asas, de Sue Monk Kidd

Oi gente,tudo certo?

Hoje eu estou aqui para fazer mais uma resenha. Mas, essa é uma especial porque esse foi o primeiro livro que eu recebi de "parceria" com uma editora! Enfim, vamos?

"Se você precisa errar, erre pela audácia"

  A Invenção das Asas, irá contar a história de duas garotas que, apesar de morarem na mesma casa, vivem em mundos completamente diferentes!

Ao completar 11 anos, Sarah Grimké recebe como presente da mãe uma empregada. Mas Sarah não gostou nem um pouco da ideia porque , embora a garota seja muito nova, ela odeia a escravidão e não acha certo negociar pessoas, muito menos da-las de presente, como se fossem apenas abjetos!

Hetty "Encrenca" Grimké, ou só Encrenca, é a escrava que foi dada a Sarah. Ela tem apenas 10 anos, mas foi ensinada pela mãe, desde sempre, a nunca baixar a cabeça para um branco por ela ser negra. Encrenca leva seu nome realmente a sério, pois ela está sempre metida em confusão. Por ser uma garota muito audaciosa e disposta a quebrar as regras, ela vai sofrer bastante com o decorrer do livro.

As duas tornam-se amigas e Sarah desafia a lei, ensinando Encrenca a ler e a escrever. As duas farão de tudo para acabar com a escravidão com as próprias mãos, se for necessário. Mas, obviamente, tudo é muito mais fácil na teoria do que na prática. E estamos falando do século XIX, nessa época as mulheres não podiam se quer trabalhar.

Sarah tem o sonho de ser advogada, mas, devido a lei e a um problema que ela desenvolveu na fala, após ver um escravo ser açoitado por ondem de sua mãe, tudo isso é estilhaçado.

Começamos a história com as duas na juventude e terminaremos com elas muito mais velhas. E isso foi uma das coisas que eu mais gostei no livro, pois assim a gente via a evolução das duas personagens. Até porque o livro é narrado pelas duas.



Esse é um daqueles livros que, quando acabam, você pensa "caramba, que livro incrível". Eu particularmente acabei com lágrimas nos olhos, de tão bom que foi o final dele. Cada página dele tinham uma frase que impactava (depois eu vou deixar alguns trechos).

Eu sentia tudo que elas sentiam. Eu fiquei nervosa até o último fio do cabelo. Torci até o fim para que tudo desse certo. Eu ficava irritada com as injustiças com os negros. E, ah, que livro maravilhoso!

Tiveram outras duas personagens, que eu não citei lá em cima, mas que foram fundamentais para história e que eu adorei cada uma delas. A primeira é Charlotte, mãe da Encrenca, uma mulher incrível, batalhadora e que presava, acima de tudo, a liberdade da filha. Ela contava histórias de quando ela era criança, de como a sua família antes era livre. E temos também Angelina, irmã mais nova de Sarah, apesar disso, Nina (como passou a ser chamada), a considerava sua mãe. Ela tinha os mesmos princípios de Sarah, achava repugnante a ideia dos negros serem escravos.

Enfim, eu adorei esse livro e eu devo agradecer a Companhia das letras, ou a Paralela para ser mais exata, por ter me enviado ele! Eu recomendo MUITO essa leitura.



Quotes:

"Ouve um tempo na Africa, as pessoas podiam voar."
"...Uma voz falou na minha cabeça: levante daí e olhe essa mulher no rosto. Desafie a bater outra vez. Desafie." 
"... Astuta Charlotte. Conforme março passava, eu ficava obcecada com a promessa que ela tinha arrancado de mim."
"... Pegando um pau, escrevi: bebê boneca boa tarde seu sino hetty"

*********************************************************************************

Então é isso, espero que tenham gostado, e se sim é só comentar ali embaixo! Até a próxima resenha.

Gênero: Romance
Páginas: 324
Nota: 5/5
Editora: Paralela
 
 



5 comentários:

  1. Ah, fiquei louca para ler, adoro suas resenhas Ana ♥
    http://tudoliteral.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. ana , esse também fooi o primeiro livro que eu recebi de parceria <3 <3

    ResponderExcluir
  3. Amo demais o seu blog. Não para de postar vídeos nuncaaaa!
    http://lendoateofim.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir